PORTO ALEGRE | Av. Ijuí, 533

Segunda a Sexta das 9h às 19h

Sábado das 9h às 17h

(51) 3321-2559

(51) 3388-6004

(51) 99291-9172

Como nós, os cães passam por cada uma das fases do sono. Do adormecimento à fase REM, que é quando o cérebro está mais ativo, os olhos se movem mais aceleradamente, o ritmo cardíaco aumenta e o número de sonhos também. Portanto, nossos “melhores amigos” precisam de algumas horas mínimas de descanso.

Recente estudo publicado na revista Current Biology sugere que os cães são capazes de se lembrar das coisas de forma mais profunda. Ou seja, a memória do seu cachorro não é tão curta como se pensava até então, pois eles conseguem se lembrar do que as pessoas fizeram em um passado recente.

O calor do verão aumenta a preocupação dos donos com o bem-estar dos seus cães e gatos. E eles têm razões de sobra para isso. Hipertermia, infestações de ectoparasitas, picadas de mosquitos e pernilongos, viroses e as doenças de pele, entre outros problemas típicos da estação, representam um perigo à saúde dos nossos animais de estimação. Por isso é necessário ter cuidados especiais com eles ao longo do verão.

A posição com que o seu cachorro dorme pode revelar detalhes da personalidade dele. Confira.

 

DORME DE LADO
Se o seu cachorro dorme de lado, saiba que ele está muito cômodo e seguro de si. Geralmente, cães que dormem assim são felizes e leais.

No verão, é comum que os donos tosem a pelagem do cachorro em função do calor. Mas será que isso faz bem aos cães? De acordo com especialistas, o pelo do cachorro é um componente essencial para a regulagem da temperatura do animal. Ou seja, o pelo serve tanto para esquentar o cachorro no inverno quanto para esfriá-lo no verão. Logo, ao tosar seu animal, o dono pode acabar prejudicando a habilidade dele regular sua temperatura corporal.

No verão, os cães têm mais dificuldade para transpirar e, assim, manter uma temperatura corpórea ideal. Em situações de calor intenso e estresse, por exemplo, os cães podem não ter condições de perder calor e, em decorrência disso, entrar em um processo conhecido como hipertermia, cujo sintoma principal é o animal ficar muito ofegante – isso porque a respiração é o único modo de o animal controlar o processo de refrigeração e manutenção da temperatura corpórea ideal .

cachorro-independentePara quem pretende ter um cachorro em casa, saiba que torná-lo independente pode ser muito importante no futuro. Isso porque mais cedo ou mais tarde, o animal ficará sozinho em casa e precisará conviver com isso. Do contrário, ele poderá apresentar algum problema de comportamento.

Acompanhe nas redes sociais

 

Atendimento

PORTO ALEGRE | Av. Ijuí, 533

Segunda a Sexta das 9h às 19h

Sábado das 9h às 17h

(51) 3321-2559

(51) 3388-6004

(51) 9291-9172

Cachorraria